• Nós da Casa Branca

Filantropia e Caridade – Qual é a diferença?



Buscando encontrar a origem das palavras filantropia e caridade, descobrimos que Filantropia tem origem no grego e significa “amor pela humanidade” e a palavra Caridade tem origem no latim e significa, na sua origem, “afeto ou estima”, com o tempo estas palavras foram ganhando novos significados.


Caridade


Segundo a Doutrina Espírita, caridade é um dever moral do homem e que vai além do auxílio material. No Livro dos Espíritos, no número 886, Allan Kardec recebe dos espíritos superiores a reposta a pergunta: Qual o verdadeiro sentido da palavra caridade, como a entendia Jesus?


“Benevolência para com todos, indulgência para com as imperfeições dos outros, perdão das ofensas."


A caridade, então, recebe o significado do amor mútuo entre todos, independentemente de circunstâncias.


Também, no livro O Evangelho Segundo o Espiritismo, descreve sobre caridade da seguinte maneira:


"Meus filhos, na máxima: Fora da caridade não há salvação... ... nada resume tão bem os deveres do homem, como essa máxima de ordem divina... ...Submetei todas as vossas ações ao governo da caridade e a consciência vos responderá. Não só ela evitará que pratiqueis o mal, como também fará que pratiqueis o bem, porquanto uma virtude negativa não basta: é necessária uma virtude ativa. Para fazer-se o bem, mister sempre se torna a ação da vontade; para se não praticar o mal, basta as mais das vezes a inércia e a despreocupação...”


Ao sabermos que a vida tem continuidade e que podemos melhorar a qualquer momento que escolhemos fazê-lo, quanto antes percebemos que nossas vidas oferecem oportunidades para amarmos aos outros nas mais diversas situações e circunstâncias, em diferentes encarnações no caminho da evolução. E percebemos que ao darmos auxílio, quer seja ele moral ou material, também, elevamos a nós mesmos e aos outros a nossa volta.


Filantropia


Por alguma razão a filantropia passou a ser vista como uma forma financeira de ajuda ou que tem algum ganho com isso.


Os donativos ou o trabalho voluntário para organizações humanitárias são considerados filantrópicos.


Instituições de ensino filantrópicas são mantidas por entidades sem fins lucrativos, que desempenham atividades para ajudar crianças e, em alguns casos, adultos a se desenvolverem e terem uma vida melhor.


As instituições filantropicas parecem ter um significado diferente da pessoa filantropica, pois se as instituições são sérias e fazem o verdadeiro trabalho de ajuda pela humanidade, e pessoas ajudam para ganhar desconto no imposto de renda ou pra comprar roupas baratas no bazar beneficente. Qual é a real filantropia?


Pra fechar...


Nem a caridade, nem a filantropia tem o intuito de tornar a pessoa ‘boazinha’, mas é importante ressaltar que ambas podem criar um estado de ‘vou ser bom, pois ganho algo em troca’. Será que isso é ser realmente bom?



Quando algum amigo lhe pede pra ajudar com uma mudança ou pra carregar umas caixas, você primeiro pensa: ‘preferia fazer outra coisa, mas tenho que ajudá-lo’, aí diz para o seu amigo: “claro, será um prazer”. O que aconteceu entre sua conversa interna e sua ação? Por que achamos que nossos pensamentos não são nossas palavras?


Talvez, o que vale à pena refletirmos e questionar: “porque quero realmente ajudar?”


Esse é um audio do Chico Xavier sobre Caridade:

https://www.youtube.com/watch?v=CZchpxD6RLY


Ótima reflexão!

358 visualizações