• Nós da Casa Branca

Teu Recomeço

Texto de Divaldo Pereira Franco, pelo Espírito Joanna de Ângelis


A cada momento podes recomeçar uma tarefa edificante que ficou interrompida. Nunca é tarde para fazê-lo; todavia, é muito danoso não lhe dar prosseguimento.

Parar uma atividade por motivos superiores às forças é fenômeno natural. Deixá-la ao abandono é falência moral.


A vida é constituída de desafios constantes. Sai-se de um para outro em escala ascendente de valores e conquistas intelecto-morais.


Sempre há que se começar a viver de novo.



Uma decepção que parece matar as aspirações superiores; um insucesso que se afigura como um desastre total; um ser querido que morreu e deixou uma lacuna impreenchível; uma enfermidade cruel que esfacelou as resistências; um vício que, por pouco, não conduziu à loucura; um prejuízo financeiro que anulou todas as futuras aparentes possibilidades; uma traição que poderia ter te levado ao suicídio, são apenas motivos para recomeçar de novo e nunca para se desistir de lutar.


Não houvesse esses fenômenos negativos na convivência humana, no atual estágio de desenvolvimento das criaturas e os estímulos para o progresso e a libertação seriam menores.



Colhido nas malhas de qualquer imprevisto ou já esperado problema aterrador, tem calma e medita, ao invés de te deixares arrastar pela convulsão que se irá estabelecer. Refugia-te na oração, a fim de ganhares força e inspiração divina.


Como tudo passa, isto também passará, e, quando tal acontecer, faze teu recomeço, a princípio, com cautela, parcimonioso, até que te reintegres novamente na ação plena.


Teu recomeço é síndrome de próxima felicidade.


Divaldo Pereira Franco, pelo Espírito Joanna de Ângelis

142 visualizações