• Nós da Casa Branca

20 Exercícios para a Reforma Íntima ensinados por Chico Xavier

A Reforma Íntima é um processo contínuo de auto-conhecimento e de transformação para nos tornarmos melhores e, por consequência, transformar o mundo ao nosso redor.



Os grandes ensinamentos de Chico Xavier perdurarão por muitos anos para a humanidade, um deles foi a lista de práticas e pensamentos que nos auxiliam na Reforma Íntima e no relacionamento com o nosso próximo para a nossa evolução.


Confira os 20 Exercícios de Chico Xavier para a reforma íntima com as explicações pertinentes a cada um deles:


1. Executar alegremente as próprias obrigações.


Todos os nossos deveres e obrigações são importantes, portanto, devemos agir com entusiasmo e gratidão por nossas experiências, que só nos fortalecem e nos torna melhores.



2. Silenciar diante da ofensa.


Muitas vezes alguém diz algo injusto ou ofensivo a nosso respeito, mas se respirarmos fundo e refletirmos com sabedoria, percebermos que se retrucarmos da mesma maneira, só pioramos a situação. Portanto, agradeça e mantenha o equilíbrio. É sempre melhor ser ofendido do que ser o ofensor.



3. Esquecer o favor prestado.


Se fizermos por algo para e por alguém, não considere que fizemos uma grande ação ou nos vangloriarmos. A verdadeira caridade é a manifestação do amor ao próximo genuíno, sem esperar algo em troca ou se envaidecer.



4. Exonerar os amigos de qualquer gentileza para conosco.


Nossos amigos, parentes, colegas ou pessoas próximas, não tem obrigação de agradecer ou retribuir as ações ou serviços que ofertamos. O ato de auxiliar o próximo, de qualquer maneira ou intenção, deve ser uma ação simples e um dever fraternal.


5. Emudecer a nossa agressividade.


A agressividade é uma reação psicológica, que nos envolve por emoções e reações impulsivas, causando brigas e desentendimentos. Se aprendemos a controlar nossas palavras e ações, é possível transformar a cólera em afabilidade e criar uma sintonia de paz ao nosso redor, que transbordará para outras pessoas.



6. Não condenar as opiniões que divergem da nossa.


Cada pessoa tem sua razão para agir ou pensar de forma peculiar. Cada um tem uma história de vida e suas crenças particulares. Condenar ou julgar os nossos semelhantes, damos a oportunidade de também sermos julgados na mesma medida. Ao respeitarmos as pessoas e suas opiniões, convivemos em harmonia com as diferenças e transformamos as relações humanas para a evolução.



7. Abolir qualquer pergunta maliciosa ou desnecessária.


Ao vigiarmos nossos pensamentos, palavras e ações, naturalmente, não nos deixamos envolver por intenções e vibrações maliciosas, passamos a focar na benevolência e criamos uma sintonia de harmonia e reciprocidade.



8. Repetir informações e ensinamentos sem qualquer azedume.


Se dispor a ensinar com dedicação e atenção, sem irritação ou indiferença, quantas vezes forem necessárias. Dedicar-se a transmitir os conhecimentos já adquiridos de forma sincera e atenciosa, proporciona melhor assimilação de quem as recebe e promove a troca de experiências, sempre temos algo a aprender.


9. Treinar a paciência constante.


Considerar que todas as adversidades e dificuldades são relevantes para o nosso aprendizado e a nossa evolução, nos torna mais pacíficos e resilientes. Ao observar com paciência e serenidade cada situação, entendemos o propósito Divino como uma nova oportunidade de promovermos mudanças e crescemos na escala da evolução.



10. Ouvir fraternalmente as mágoas dos companheiros sem biografar nossas dores.


Quando alguém nos procura para desabafar ou apenas compartilhar suas angústias, conceder-lhe a atenção fraterna, sem interrupção ou comentários sobre as nossas dores. Neste momento, ouça com carinho e compreensão, sem julgamentos. Na maioria das vezes, a pessoa só espera ser ouvida ou desabafar suas angustias. Ouvindo com carinho e atenção, aprendemos com as dores dos outros e nos sentimos útil na caridade com o próximo.


11. Buscar sem afetação o meio de ser mais útil.


Como mencionado acima, a vida nos proporciona inúmeras maneiras de sermos úteis. Não desperdicemos as oportunidades com a vaidade e o orgulho, buscando o reconhecimento ou evidências das ações. Faça pelo próximo em silêncio, a fim de não humilhar os que lhes dispensam a confiança.



12. Desculpar sem desculpar-se.


Devemos aprender com os nossos erros, da mesma forma, entender que os outros também erram e que estamos todos em processo de evolução. Aprendemos a desculpar os erros alheios e não nos culparmos pelos nossos próprios equívocos. Compreender os nossos erros para não cometermos novamente e continuar a jornada com mais leveza e fé.


13. Não dizer mal de ninguém.


Realmente, não sabemos tudo, muito menos quais os problemas as pessoas estão atravessando em suas vidas. Cada um dá o que tem de melhor, todos estamos no processo de aprendizagem e que entender que talvez tivéssemos a mesma atitude na mesma situação. Entender que somos Espíritos eternos, com erros e acertos para a evolução e harmonia do universo.



14. Buscar a melhor parte das pessoas que nos comungam a experiência.


Muitos dos defeitos que observamos nos outros é reflexo da nossa própria imperfeição. Treine as suas atitudes e pensamentos para enxergarmos e valorizarmos o lado positivo dos outros, desta forma, manifestamos apenas vibrações harmônicas e positivas.



15. Alegrar-se com a alegria dos outros.


Algumas pessoas têm até medo de compartilhar suas conquistas e alegrias por medo das baixas vibrações de algumas pessoas. Alegrar-se com a felicidade e plenitude do próximo, são gotas de solicitudes que resplandecem no universo.



16. Não aborrecer quem trabalha.


Todos temos formas diferentes de fazer as coisas, isso não significa que uma é melhor que a outra. Se na sua forma de ver, tem algum método que é melhor ou mais fácil para realizar o mesmo trabalho, isso pode ser feito de forma gentil e com amor, caso contrário, aproveite a oportunidade pra refletir: ‘porque quero interferir no trabalho do outro?’




17. Ajudar espontaneamente.


Quantas vezes nos são apresentadas oportunidades para ajudar, desde pequenas ações, como pegar um papel esquecido no chão e levar até uma lixeira logo a diante, como a de ajudar alguém com alguma dificuldade. Auxilie o próximo com sentimento de carinho e afabilidade, da mesma forma como quer ser ajudado em suas dificuldades.



18. Respeitar o serviço alheio.


A todo o momento, estamos oferecendo o melhor em nossos afazeres, seja na tarefa doméstica até no ambiente profissional. Valorizar e respeitar os outros na forma de condução de suas tarefas é a melhor forma de sermos respeitados e valorizados.



19. Reduzir os problemas particulares.


As provas fazem parte da vida e servem para nos ajudar a crescer na escala da evolução. Tudo que focamos fica maior, então, se destinarmos mais atenção às soluções dos problemas, veremos que a solução é simples e fácil, tanto é, que consideramos muito mais fácil darmos conselhos aos outros, porque não estamos vivendo os problemas, do que aplicarmos em nossas vidas.



20. Servir de boa mente quando a enfermidade nos fira.


Muitas são as dificuldades que passamos, mas temos que manter equilíbrio mental e emocional para que saibamos superá-las. Quando estamos adoentados, com fome ou cansados, temos que criar uma força interior para seguirmos com o mesmo carinho e atenção aos outros. Esse esforço maior amplia nossa devoção e nos engrandece como ser humano.


Reflexão:


Todos esses exercícios que Chico Xavier, lindamente nos deixou, servem de guia para nossa conduta perante a vida e diante das pessoas que nos rodeiam ou que cruzarmos pelo caminho. Nossas ações passam a ser como ondas de harmonia, refletindo e repercutindo para um mundo melhor, bem melhor...

201 visualizações